Procon Goiás encontra diferença de até 27% no preço do arroz

Economia / 203

Além do arroz, a pesquisa levantou preços de outros 28 itens que fazem parte da alimentação diária do brasileiro 

Diante da tragédia climática ocorrida no Rio Grande do Sul, principal estado brasileiro produtor do arroz, há especulação que o preço do cereal tenha alta. Para auxiliar o consumidor na hora da compra, o Procon Goiás realizou pesquisa para verificar variação de preços de alguns alimentos, entre eles do arroz, item essencial na mesa do brasileiro.

O levantamento foi feito em dez estabelecimentos da capital goiana. No caso do arroz, a principal variação foi de 27% e ocorreu no pacote de cnco quilos da marca Dona Cota, vendido de R$ 27,48 a R$ 34,90.

A segunda maior variação foi de pouco mais de 16% no produto da marca Gol, vendido de R$ 29,19 a R$ 33,98. Outra variação considerável foi da marca Cristal, encontrado de R$ 31,95 a R$ 36,99, diferença de 15,77%.

Outros alimentos

Além do arroz, a pesquisa levantou preços de outros 28 itens que fazem parte da alimentação diária do brasileiro. Nesses itens, a principal variação foi de mais de 277% e ocorreu no quilo da banana nanica, vendido de R$ 1,85 a R$ 6,99.

O levantamento também apontou a necessidade do consumidor pesquisar se for comprar tomate. Isso porque o preço do quilo teve variação de mais de 175%, sendo vendido de R$ 5,99 a R$ 16,48.

Outra variação expressiva foi do quilo do corte bovino coxão mole, vendido de R$ 22,99 a R$ 45,90, oscilação de quase 100%. O quilo da batata inglesa também pode pesar no bolso do consumidor, já que ele é vendido de R$ 8,74 a R$ 13,90, diferença de 59%.

Orientações

O Procon Goiás orienta o consumidor a sempre pesquisar os preços dos produtos antes da compra, já que existe uma variação significativa de um estabelecimento para o outro. A recomendação é que o consumidor também estabeleça, de acordo com o orçamento doméstico, quanto poderá gastar na compra em supermercado. Depois, faça uma lista dos produtos a serem adquiridos, colocando em primeiro lugar os itens essenciais, aqueles que não poderão ficar de fora.

É importante também nunca fazer as compras com pressa, pois o cliente pode ser induzido a levar produtos supérfluo e esquecer o indispensável. O Procon Goiás também orienta que o consumidor analise se as ofertas do tipo “leve 3 e pague 2” são realmente verdadeiras e lucrativas. Uma dica é calcular o valor da unidade do produto para verificar se a promoção feita pelo estabelecimento é realmente vantajosa.

Fonte: Procon Goiás – Governo de Goiás
Foto: Procon Goiás