Goiás tem queda de mais de 37% nos casos de feminicídios

Policial / 185

Queda dos índices de feminicídio é resultado do trabalho de integração das forças policiais 

Dados do Observatório de Segurança Pública da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) apontam que os números de feminicídios tiveram redução de 37,5% no estado.  As informações são referentes ao primeiro semestre deste ano, comparado com o primeiro semestre do ano passado.

Em 2024, foram registrados 20 casos, enquanto no mesmo período de 2023, foram 32. Os dados foram divulgados durante reunião do governador Ronaldo Caiado com o secretário de segurança, Renato Brum, e chefes das polícias, no auditório Mauro Borges.

A Policia Militar de Goiás (PMGO) realizou no primeiro semestre deste ano, 97.804 acompanhamento de medidas protetivas, isso significa um aumento de mais de 338%, em relação ao mesmo período no anterior, que registrou  28.707.

No primeiro semestre de 2024, a Polícia Civil de Goiás enviou ao Poder Judiciário 8.013 inquéritos policiais com autoria definida. Esses dados são de inquéritos que apuraram crimes envolvendo violência doméstica e familiar contra a mulher.

Goiás tem queda de mais de 37% nos casos de feminicídios 

“O feminicídio é uma das nossas maiores preocupações, por ser um crime que acontece dentro de casa. Graças ao empenho das nossas polícias estamos conseguindo reduzir os índices”, disse o governador.

Queda no número de feminicídios

O governador Ronaldo Caiado ressaltou a importância da queda no número de feminicídio no estado. “O resultado positivo é fruto do trabalho integrado entre as forças de segurança e outros Poderes. O feminicídio é uma das nossas maiores preocupações no âmbito da segurança pública, por ser um crime que acontece dentro de casa. Graças ao empenho das nossas polícias estamos conseguindo reduzir os índuices”, disse.

Para o secretário de segurança, Renato Brum, “esse significativo número não quer dizer que precisamos nos acomodar, vamos continuar fazendo um trabalho conjunto das nossas forças. Sempre ressalto a importância da integração, e, juntos com o nosso governador, que nos dá liberdade para seguir fazendo o estado de Goiás mais seguro, um exemplo para todo país. Vamos trabalhar ainda mais para que esse número se mantenha em constante queda”, comentou.

Mulher Segura

Um importante recurso para combater o feminicídio é o aplicativo Mulher Segura, que permite à população feminina goiana o acesso direto aos serviços do estado de Goiás  para comunicar casos de violência, acionando a Polícia Militar em emergência e ter à mão a localização dos batalhões e das delegacias próximas. O App está disponível nos sistemas IOs e Android.

Patrulha Maria da Penha tornou-se Batalhão da PM em 2020, sendo encarregado do policiamento ostensivo de segurança específica para atendimento qualificado às ocorrências de violência doméstica contra as mulheres.

Outras ações

Visando manter a segurança das mulheres, o estado de Goiás dedica e investe em ações para a redução destes tipos de crimes. Nesse sentido, a PMGO conta com o Batalhão Maria da Penha. A unidade foi criada em 2015 e iniciou-se como Patrulha Maria da Penha, tornando-se um Batalhão de Polícia Militar em 2020, sendo encarregado do policiamento ostensivo de segurança específica para o atendimento qualificado às ocorrências de violência doméstica contra as mulheres.

A realização de atendimentos especializados à vítima e aos familiares, e ações preventivas, como visitas comunitárias e solidárias, são práticas constantes realizadas pelo BMP.

A criação da Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher (Deaem) ampliou a atuação das 1ª e 2ª Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia e tem como objetivo fortalecer a rede de combate à violência contra a mulher. Existem 26 Deams no estado.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública – Governo de Goiás
Fotos: SSP e Giovana Cruz –SPTC