Cuidados com focos do Aedes aegypti devem ser mantidos no feriado prolongado

Saúde / 290

Limpeza de quintais e outros recipientes é fundamental para evitar casos de dengue

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) alerta a população goiana sobre a necessidade de manter os cuidados com possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, durante o feriado prolongado de Corpus Christi, entre esta quinta-feira (30/05) e domingo (02/06). Muitas pessoas viajam e tendem a deixar os imóveis desprotegidos, o que pode contribuir para a proliferação do vetor.

“Agora estamos saindo do período de sazonalidade, ou seja, aquele período com maior número de casos, mas isso não quer dizer que o número de casos zerou. Pelo contrário, eles continuam acontecendo, em um menor número. É importante que nesses feriados prolongados e nas férias que virão, em julho, as pessoas tenham muito cuidado com as suas casas, para que elas não se tornem durante a sua ausência um grande criadouro do Aedes”, destacou a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim.

Números impactam

Atualmente, o estado possui 336.587 casos notificados de dengue e outros 184.340 confirmados. Ao todo, 239 mortes já foram confirmadas pelo Comitê Estadual de Investigação de Óbito Suspeito por Arboviroses em 2024 e outras 163 ainda estão em investigação.

Os números impactaram também o sistema de saúde, que registrou entre janeiro e maio desse ano 3.710 internações pela doença nos hospitais da rede da SES, superando significativamente o registro do mesmo período de 2023, quando houve 231 internações por dengue em Goiás. “Foi o ano com maior número de casos já registrados no estado e tivemos também a nossa maior epidemia”, pontuou.

Flúvia Amorim reforça ainda que, além da Campanha de Vacinação contra a doença, que já aplicou 161.682 doses do imunizante em Goiás até o momento, outra importante estratégia para conter os casos é o manejo ambiental, com a limpeza dos lotes e quintais para eliminar focos e impedir que o mosquito nasça.

“Verifique se tem algum local na sua casa que tem água acumulada e que precisa ser protegido. Vasos sanitários, tratamento de piscinas, a vasilha do animal, que deve ser limpa uma vez por semana. Essas pequenas atitudes podem conferir proteção às famílias e um retorno seguro às suas residências”, concluiu a superintendente da pasta.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde – Governo de Goiás
Foto: Marco Monteiro